Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização de acordo com a nossa Política de cookies.

concordo
Igor Stravinsky e Claude Debussy em 1915 | Foto de Erik Satie | Fonte: Bnf Gallica

18/04/2021

Sinfonias para Instrumentos de Sopro


«Sinfonias para Instrumentos de Sopro» é uma obra de Igor Stravinsky que foi estreada na Queen’s Hall, em junho de 1921. Foi dedicada à memória de Claude Debussy, numa altura em que o músico francês havia falecido havia apenas três anos. Em 1908, o próprio Debussy tinha dirigido La Mer naquela sala londrina.

**

É estranho uma obra intitular-se «sinfonias» quando se trata de uma curta peça que nem sequer está escrita para instrumentos de cordas. Soa, por isso, algo enigmático. Afinal, Stravinsky usou a palavra «sinfonias» (no plural) para fazer alusão à conotação mais antiga e mais genérica da palavra grega – «soar junto». Com efeito, os instrumentos soam em conjunto, ao encontro desse sentido original.

Em pouco menos de dez minutos, encadeia-se um mosaico de sonoridades extremamente diverso. O compositor clarificaria mais tarde que são pequenas litanias que se sucedem de maneira sempre contrastante, em quatro blocos distintos nos quais é possível reconhecer melodias tradicionais russas e ritmos de dança. Curiosamente, a obra foi inicialmente recebida com risos de uma plateia que não estava familiarizada com a faceta mais experimental do músico. Já em 1947, fez uma revisão da obra, resultando a versão que é hoje mais correntemente interpretada.

Rui Campos Leitão

Artigos Relacionados

A Abertura de «L’Italiana in Algeri»

Na sinfonia de abertura do o drama jocoso «L’Italiana in Algeri», de Gioachino Rossini, reconhecem-se algumas das melodias que se destacam nos dois atos que lhe seguem. Saber Mais

Petite Suite

A «Petite Suite» de Claude Debussy compõe-se de quatro peças muito curtas, mas de grande beleza. Todas têm um caráter vagamente descritivo, como se evocassem ideias ou situações. Saber Mais

Árias e Danças Antigas para Alaúde

As «Árias e Danças Antigas para Alaúde», de Ottorino Respighi, são suítes orquestrais inspiradas em ritmos e melodias que remontam aos séculos XVI e XVII. Saber Mais