Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização de acordo com a nossa Política de cookies.

concordo
Música de Câmara

Trios Românticos

Museu do Oriente
Sáb 29 Jan 17:00

Os Solistas da Metropolitana interpretam neste programa três obras tão divertidas de ouvir como de tocar. São três partituras formidavelmente escritas para o agrupamento instrumental composto por clarinete, fagote e piano. Começamos com o Trio Pathétique de Mikhail Glinka, o qual muito embora tenha sido originalmente escrito em 1832 para essa formação, é mais frequentemente tocado na transcrição para violino, violoncelo e piano. Glinka foi pioneiro do nacionalismo musical russo, o que aqui se traduz na inclusão de melodias populares daquela região. Porém, e apesar disso, o estilo clássico vienense sobrepõe-se na maior parte do tempo. O título pelo qual se conhece é devido ao seu Pathos, palavra que na língua grega significa sofrimento e paixão. A afetação expressiva é sobretudo notória no terceiro dos quatro andamentos. Somos de seguida encaminhados à derradeira década do século XIX. Primeiro com Karl Goepfart, aluno de Franz Liszt em Weimer e protagonista de uma notável carreira enquanto pianista e maestro por toda Europa e nos E.U.A. A recuperação deste trio – tão poucas vezes tocado – oferece-nos a oportunidade de assistir a uma animada conversa entre os três instrumentos. Identifica-se com o melhor repertório camerístico da época. Por fim, um outro trio para mesma formação, desta feita do inglês William Hurlstone. Trata-se de uma partitura que só foi reconstituída nas últimas décadas, pelo que ainda tem muito para surpreender.

Trios Românticos
Solistas da Metropolitana

M. Glinka Trio Pathétique
K. E. Goepfart Trio para Clarinete, Fagote e Piano, Op. 75
W. Y. Hurlstone Trio em Sol Menor para Clarinete, Fagote e Piano

Jorge Camacho clarinete
Rafaela Oliveira fagote
Anna Tomasik piano

Em Destaque