Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização de acordo com a nossa Política de cookies.

concordo
«Conde de Egmont» Gravura do século XVIII | Fonte: Wikimedia Commons

15/02/2020

A Abertura Egmont


O desígnio da liberdade individual foi para Ludwig van Beethoven um pretexto criativo recorrente. Desde a ópera Fidelio à Nona Sinfonia, são muitos os exemplos que traduzem nas suas obras a apropriação de ideais de natureza social e política. É também o caso da Abertura Egmont, de 1810, que ilustra a capacidade que a Música tem de se transcender num alcance expressivo simultaneamente íntimo e universal.

**

A Abertura Egmont foi a introdução orquestral que Beethoven compôs para uma representação da peça teatral homónima que Goethe escrevera cerca de duas décadas antes. Esta moldava-se na estrutura dramatúrgica das tragédias de Shakespeare, podendo entender-se como um manifesto político pelos valores da justiça e liberdade do indivíduo diante da opressão despótica. O enredo baseia-se na história de um guerreiro flamengo que resiste à invasão das tropas espanholas. O Conde Egmont encarna assim a figura de herói, na condição de um mártir cuja morte é representação das virtudes de quem luta por aqueles ideais. 

Indo ao encontro desta temática, a presente abertura consiste num verdadeiro hino de luta pela liberdade; música carregada de força, nobreza e carisma triunfante. Começa algo sombria, sem pressa, ilustrando com meia dúzia de acordes todo o poder da tirania. Aos poucos, começa a desenvolver-se com maior dinâmica, porventura traduzindo a boa índole e a determinação do herói. Tudo aponta a um clima épico, como se através de notas musicais fosse possível traduzir a convicção de que a morte pode não representar «o fim», designadamente quando a nobreza de espírito com ela coincide.

Artigos Relacionados

A Patética de Tchaikovsky

Piotr Ilitch Tchaikovsky dirigiu a estreia da Sinfonia N.º 6 no final de outubro de 1893, em São Petersburgo. Morreu nove dias mais tarde, de maneira inesperada, o que contribuiu para as inúmeras alusões extramusicais que surgiram em torno da obra. Saber Mais