Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização de acordo com a nossa Política de cookies.

concordo

Davide Lopes

Trompete

Davide Manuel Câmara Lopes nasceu em 1991 na ilha de São Miguel (Açores). Deu início aos seus estudos musicais no ano de 2001 na sede da filarmónica Banda Nossa Senhora da Luz. No ano de 2004 ingressou no Conservatório Regional de Ponta Delgada, onde concluiu o 5.º Grau na Classe de Trompete do professor Vasily Chyryk. Em 2009 foi admitido na Escola Profissional Metropolitana, na Classe de Trompete do professor Filipe Coelho. Em 2015 deu início ao curso de Instrumentista de Orquestra na Academia Nacional Superior de Orquestra (ANSO), na Classe dos professores Sérgio Charrinho e Rui Mirra. Enquanto solista e músico, tem vindo a aperfeiçoar-se em masterclasses orientadas por professores como Martin Angerer, Jeroen Berwaerts, Reinhold Friedrich, Hannes Läubin, Michael Sachs, Gäbor Tárkovi, Nenad Markovic, Frugina Hara, Stephen Mason, Wim Van Hasselt, Eric Aubier e Antoine Cure, entre outros.

Entre 2006 a 2015 foi membro efetivo da Orquestra Regional «Lira Açoriana», em 2011 convidado a integrar a European Union Youth Wind Orchestra, e entre 2015 a 2018 membro da Orquestra Académica Metropolitana. No ano de 2018 integrou a orquestra Neue Philharmonie München. Foi estagiário da Orquestra Metropolitana de Lisboa (2.º Trompete) na temporada 2018/2019, mantendo-se atualmente como membro reforço da mesma. Como músico convidado, já colaborou com o Ensemble MPMP, a Orquestra de Câmara Portuguesa, a Orquestra Clássica do Sul e a Sinfonietta de Ponta Delgada, entre outras formações. Já teve a oportunidade de trabalhar com maestros como Pedro Neves, Jean-Marc Burfin, Michael Zilm, Yoel Gamzou, Mykola Diadiura, Jan Cober, Pascal Verrot, Emilio Pomàrico, Yevgen Gertsev e Eivind Gullberg Jensen, entre outros. Com estes maestros, tocou em salas de grande prestígio, tais como a Herkulessaal der Residenz München (Munique), o Kongress Palais Kassel (Kassel), a Fundação Calouste Gulbenkian e o Centro Cultural de Lisboa.

Em 2015 apresentou-se como solista na Orquestra Projeto “Lira Açoriana”, interpretando o concerto para Trompete e Orquestra de Alexander Arutiunian. Em 2016 foi nomeado vencedor do Prémio Inatel da ANSO, interpretando a solo o Concerto para Trompete e Orquestra de Charles Chaynes.