Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização de acordo com a nossa Política de cookies.

concordo

Gonçalo Marques

Eufónio Tuba

Gonçalo Daniel Alves Marques iniciou os seus estudos musicais com 8 anos de idade. Em 1998 entrou na Escola de Música do Conservatório Nacional de Lisboa, na classe de Tuba/Eufónio. Tem vindo a colaborar e a participar em estágios de orquestra de sopros, destacando-se a Orquestra Nacional de Sopros dos Templários, a Orquestra de Sopros do Oeste e a Orquestra de Jovens Músicos do Concelho de Águeda, assim como com a Orquestra Sinfónica Juvenil e a Orquestra Sinfonietta.

Desde 2011, é o professor de eufónio no Estágio Nacional de Orquestra de Sopros de Portel. Em 2012 foi convidado a coordenar os metais do IX Estágio da Banda Sinfónica da Covilhã. Orientou o naipe de tubas e eufónios nos três estágios da Orquestra de Sopros Veteras, apresentando-se a solo no 2.° estágio, em 2014.

Em 2008 conquistou o 2.° Prémio no I Concurso de Terras de La Sallette, em Oliveira de Azeméis. Em 2007 entrou para a Escola Superior de Música de Lisboa, concluindo a Licenciatura em Eufónio no ano de 2011, com o professor Adélio Carneiro. Nesta mesma escola, concluiu o Mestrado em Ensino da Música, em 2018.

É membro do trio 2 Chamadas Não Atendidas, onde se alia a um oboé e a um piano em busca de novas ideias, desenvolvendo a sua criatividade na construção de temas originais. Atualmente, desempenha as funções de instrumentista em Eufónio na Banda de Música da Força Aérea, na qual ingressou em 2004 e onde desempenha as funções de Chefe de Naipe. Colabora regularmente com a Big Band Lisbon Swingers, dirigida por Claus Nymark, na qual toca trombone.

Paralelamente à vertente da execução, leciona a classe de Eufónio na Escola Profissional Metropolitana, desde setembro de 2010, e na Academia de Música de Óbidos, desde 2013, onde também leciona Música de Câmara. Em 2014/15 foi o professor de Tuba/Eufónio no Conservatório de Música das Caldas da Rainha. Com vontade de dinamizar e motivar a classe de eufónios em Portugal, tem vindo a organizar e a lecionar workshops e masterclasses um pouco por todo o país, sendo membro ativo da Associação Portuguesa de Tubas e Eufónios – APTE.