Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização de acordo com a nossa Política de cookies.

concordo

Metropolitana leva Beethoven a Águeda no regresso do maestro Pedro Neves a “casa”

A Orquestra Metropolitana de Lisboa continua a sua aposta itinerante e de descentralização. Depois das Caldas da Rainha, esta quinta-feira, a OML leva sábado a Sinfonia Eroica a Águeda, num concerto muito especial para o maestro Pedro Neves, que regressa assim a casa.

“Sim, é uma visita às minhas origens”. É desta forma que Pedro Neves, o maestro titular da Orquestra Metropolitana de Lisboa e diretor artístico da Metropolitana, encara a viagem a Águeda, onde no sábado, às 21h30, a OML se apresenta no Centro de Artes.

A Sinfonia n.º 3, Op. 55, Eroica, de Beethoven, é o prato forte do programa, que inclui ainda a Abertura Coriolano, Op. 62 do compositor alemão e a estreia da obra In Paradisum – Nam qui morietur solus, de Luís Cardoso, compositor natural de Águeda.

“É uma viagem que eu gosto de fazer frequentemente, revisitando o caminho percorrido, solidificando a coluna vertebral, para que assim ganhe mais força e energia para os desafios do presente e do futuro”, conta Pedro Neves. O maestro recorda que foi em Travassô, uma freguesia do concelho de Águeda, que teve os primeiros contactos com a música. “A Orquestra Filarmónica 12 de Abril foi onde tudo começou. Hoje, só uma palavra faz sentido e traduz o sentimento dessas memórias: gratidão”, continua.

O facto de a OML apadrinhar a estreia de uma obra do compositor aguedense Luís Cardoso tem uma justificação. “É a nossa singela homenagem a esta terra que tão bem trata a música, criando seres humanos capazes de, através da arte, serem melhores cada dia que passa”.

A vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Águeda não esconde a felicidade de ver a Orquestra Metropolitana de Lisboa a atuar ao vivo. “Para nós, é um orgulho muito grande ter a OML numa atuação no Centro de Artes. Mas mais ainda quando ela é dirigida por um filho da terra como o Pedro Neves. O Pedro é uma pessoa muito especial, com características únicas, e que fez um percurso notável e isso deixa-nos muito felizes”, afirma Elsa Corga.

A autarca elogia ainda o “talento e a personalidade” do compositor Luís Cardoso, que verá a sua obra estrear com a OML: “o Luís Cardoso é uma pessoa muito querida de todos nós. É muito talentoso e tem criado obras de grande qualidade, pelo que é mais um fator relevante para o concerto de sábado à noite”.