Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização de acordo com a nossa Política de cookies.

concordo

Jorge Camacho

Clarinete

Natural de Lisboa, iniciou os seus estudos musicais aos dez anos de idade na Sociedade Filarmónica Incrível Almadense. Licenciou-se na Academia Nacional Superior de Orquestra com dezanove valores na Classe de Clarinete dos professores Étienne Lamaison e Nuno Silva em 2000.

Fez a sua formação em Direção de Orquestra com o maestro Jean-Marc Burfin, tendo também frequentado masterclasses com Emilio Pomarico, António Saiote, Pedro Neves e José Brito. Foi diretor artístico de projetos como Grandes Musicais, que teve a participação de Henrique e Nuno Feist, e o Workshop de Orquestra da Academia de Música de Almada.

Foi fundador e maestro das orquestras de sopros do Conservatório Metropolitano de Lisboa da Academia de Música de Almada, das orquestras de clarinetes da Academia de Música de Alcobaça e do Conservatório Regional das Caldas da Rainha.

Vencedor de vários prémios em concursos, dos quais se destacam o 1.º Prémio por cinco anos consecutivos do Concurso para Jovens Músicos do Distrito de Setúbal, entre 1992 e 1996, e o 1.º Prémio do Concurso Nacional de Jovens Clarinetistas no ano de 1999. No mesmo ano foi selecionado por concurso para Solista A da Orquestra Filarmonia das Beiras. Realizou várias masterclasses com professores como António Saiote, Michel Arrignon, Philipe Couper, Paul Meyer, Guy Deplus, Hermann Stefansson, Perez Piquet, Luís Gomes e Rui Martins, entre outros.

Apresentou-se como solista com a Orquestra Metropolitana de Lisboa e a Orquestra Filarmonia das Beiras, tendo interpretado o Concerto para Clarinete de Carl Nielsen. Tocou a Première Rhapsodie de Claude Debussy com a Orquestra Académica Metropolitana.

Dos recitais realizados, destaca-se a representação de Portugal no Congresso Internacional do Clarinete, Clarinet Meet Oporto e no Encontro de Clarinetistas do Atlântico Sul, onde participaram alguns dos melhores solistas a nível internacional. Em 2012 foi convidado a integrar a Orquestra Filarmónica das Américas sediada em Nova Iorque, fazendo uma digressão pelos Estados Unidos. Em Portugal foi convidado em várias orquestras, como a Orquestra Sinfónica Portuguesa, a Orquestra Sinfonieta de Lisboa, a Orquestra Filarmonia das Beiras, entre outras.

Foi professor na Universidade de Évora, Academia Nacional Superior de Orquestra, Conservatório Regional de Setúbal, Conservatório Regional de Caldas da Rainha, Academia de Música de Almada, Escola Profissional Metropolitana, Academia de Música de Alcobaça e Conservatório de Música da Metropolitana.