Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização de acordo com a nossa Política de cookies.

concordo

Paulo Gaio Lima

Violoncelo

Nasceu no Porto. Foi aluno de Madalena Costa no Conservatório de Música desta cidade e de Maurice Gendron no Conservatório Superior de Paris, cidade onde viveu durante sete anos, tendo sido bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian e do Ministério da Cultura.

Apresenta-se regularmente em festivais de música em Portugal e no resto da Europa (Europália – Bruxelas, Huddersfield, Marais, Uzés, Torino, Trento, Nantes, entre outros), e com as orquestras de Moscovo, Szeged, Xangai, Porto Alegre, Hannover, Monterrey, Basel, Varsóvia, Neuss, Istambul.

Colabora com diversos grupos de música contemporânea, nomeadamente, Alternance, 2E2M, L’Itinéraire, Poikilon, Música Nova e Divertimento di Milano. Apresentou em 1.ª audição obras de Dusapin (Música 86, Estrasburgo), o Concerto para violoncelo de P. Hersant (Huddersfield, 89) e 5 Miniaturas de C. Marecos (Cascais, 2000).

Em 1987, foi violoncelo-solo convidado da Orquestra Sinfónica do Reno. De 1992 a 2000, foi violoncelo-solo da Orquestra Metropolitana de Lisboa. Fez parte do Quarteto Verdi de Paris. Com Aníbal Lima e António Rosado, formou o Artis Trio, tendo atuado na Dinamarca, França, Portugal e Itália. Desde 2006, faz parte do Trio.pt.

Gravou em disco Concertos de L. Boccherini, Beethoven (com G. Ribeiro e P. Burmester), Brahms (com G. Ribeiro) e Schumann, assim como obras do repertório camerístico português (Pinho Vargas, C. Carneyro, Joly B. Santos), para a EMI e RCA.

A sua atividade pedagógica divide-se entre a Academia Nacional Superior de Orquestra, as Universidades de Évora e Minho e cursos de aperfeiçoamento em todo o país, Espanha, França, Brasil, Áustria e Estados Unidos da América.