Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização de acordo com a nossa Política de cookies.

concordo

Joana Nunes

Viola

Joana Maria Dias Nunes nasceu a 5 de setembro de 1990 na cidade de Mirandela. Deu início aos seus estudos musicais no ano de 2002 na ESPROARTE (Escola Profissional de Arte de Mirandela), na Classe de Viola d’Arco da professora Danuta Grossmannová. No ano de 2008 ingressou na Escola Superior de Música, Artes e Espectáculo do Porto, na Classe do professor Ryszard Wóycicki, onde concluiu a sua Licenciatura com nota máxima. Em 2013 deu início ao curso de Mestrado na Hochschule für Musik und Theater «Felix Mendelssohn», em Leipzig, na Classe da prestigiada professora e solista de renome Tatjana Masurenko, tendo concluído o diploma em 2016 com Grau de Distinção.

Durante todo o Mestrado contou com uma bolsa de estudo atribuída pela Fundação Calouste Gulbenkian.

Enquanto solista e músico de câmara tem vindo a aperfeiçoar-se em masterclasses com professores como Anabela Chaves, Diemut Poppen, Ryszard Woycicki, Avri Levitan, Tatjana Masurenko, Bruno Giuranna, Atar Arad, Roger Benedict, Oliver Kipp e Tomasz Tomaszewski, entre outros. Pertenceu também, entre 2010 e 2013, ao grupo de solistas da International Mahler Orchestra, com a qual se apresentou em performances de música de câmara, essencialmente em Berlim.

Em 2008 foi laureada com o 1.º Prémio na II Edição do Concurso de Instrumentos de Arco do Alto Minho. No mesmo ano foi nomeada vencedora do Prémio de Mérito pelo Ministério da Educação, tendo feito o seu primeiro concerto a solo com a Orquestra Sinfónica ESPROARTE. Em 2009 foi também vencedora do Prémio Helena Sá e Costa. Como prémio, teve então a oportunidade de tocar a solo com a Orquestra ESMAE. No ano de 2012 obteve o 2.º Prémio no Concurso Prémio Jovens Músicos.

No ano de 2005 ingressou na Orquestra APROARTE, onde realizou as VI, VII,VIII e IX Edições da mesma. Entre 2009 e 2013 foi membro efetivo da Orquestra de Jovens da União Europeia, sendo que nos dois últimos anos ocupou o lugar de 1.ª Viola. Ainda no ano de 2009 foi convidada a integrar a International Mahler Orchestra. De 2013 a 2015 foi membro academista da Deutsche Oper Berlin, onde se manteve como membro de reforço (tutti) e, posteriormente, com contrato temporário (tutti) na temporada de 2017/2018. Atualmente é membro de reforço (tutti) da mesma orquestra. Em 2017 foi convidada a integrar a European Philharmonic of Switzerland, onde ainda se mantém.

Já teve oportunidade de trabalhar com maestros como Sir Simon Rattle, Vladimir Ashkenazy, Donald Runnicles, Charles Dutoit, Lorenzo Viotti, Andrew Litton, Peter Stark, Yoel Gamzou, Mathias Bammert, Gianandrea Noseda e Pedro Neves, entre outros. Em novembro de 2009 prestou audição para reforço da Orquestra Gulbenkian, à qual foi admitida. Ainda em orquestra, teve o privilégio de tocar com solistas conceituados, tais como Natalia Gutman, Itzhak Perlman, Pinchas Zukerman, Renaud Capuçon, Gautier Capuçon, Ivry Gitlis, Elina Garanca, Rolando Villazón e Martha Argerich, entre outros. Com estes mesmos solistas e maestros tocou em salas de grande prestígio, tais como Carnegie Hall (Nova Iorque), Boston Symphony Hall (Boston), Kennedy Center (Washinton), Korzerthaus (Berlin), Berlin Philharmonie (Berlin), Het Concertgebouw (Amesterdão), Dvořák Hall (Praga), Royal Albert Hall (Londres), Centro Cultural de Belém (Lisboa) e Fundação Calouste Gulbenkian (Lisboa), entre outras. Apresentou-se em concertos e digressões nestas e outras salas pela Europa, E.U.A. e Ásia.