Temporada Música de Câmara

Brahms e Zemlinsky

facebook Instagram Youtube

Programação e Bilheteira

Temporada Música de Câmara


Brahms e Zemlinsky


>Anterior
2019 set out nov dez 2020 jan fev mar abr mai jun
Seguinte
10

SOCIEDADE PORTUGUESA DE AUTORES


Brahms e Zemlinsky

Em março de 1891, com cinquenta e oito anos de idade e já retirado do ofício, Johannes Brahms percorreu os cerca de setecentos quilómetros que separam Viena de Meiningen para ouvir a célebre orquestra da corte daquela cidade alemã sob direção de um dos seus maestros preferidos, Fritz Steinbach. Surpreendido, a sua atenção focou-se na envolvência expressiva do som de Richard Mühlfeld, o jovem clarinetista que integrava a orquestra. Instalou-se no verão seguinte na estância termal de Bad Ischl, situada nas montanhas a sudeste de Salzburgo, e voltou ao trabalho para compor duas obras dedicadas àquele músico: o Quinteto para Clarinete, o Quarteto de Cordas Op. 115 e o Trio para Clarinete, Violoncelo e Piano Op. 114. No final do ano regressou à Alemanha e fê-las estrear em Berlim, naturalmente interpretadas pelo próprio Mühlfeld. Em particular, ouve-se no Trio uma combinação instrumental em que o clarinete não se assume como protagonista virtuoso. Em vez disso, imerge numa conversa voluptuosa com as outras partes. Nesta partitura, onde tudo se revela essencial, temos a oportunidade de apreciar o conhecimento acumulado ao longo de toda uma vida por parte de um dos nomes maiores da História da Música. E isso não passou despercebido pelo jovem Alexander Zemlinsky, quando em novembro de 1894 teve a oportunidade de conhecer o mestre pessoalmente. Nessa ocasião apresentava-se com um Quinteto de Cordas na Tonkünstlerverein de Viena, uma instituição de que Brahms era Presidente Honorário e que tinha como desígnios apoiar os músicos da cidade e promover a música de câmara. Foi esse encontro que motivou Zemlinsky para compôr uma obra com a mesma configuração instrumental do Op. 114, a qual mereceu a aprovação de Brahms no dia da estreia, dois anos mais tarde.

 

 

Brahms e Zemlinsky

Solistas da Metropolitana

 

Quinta-feira, 10 de janeiro, 18h30, Sociedade Portuguesa de Autores

 

J. Brahms Trio para Clarinete, Violoncelo e Piano, Op. 114

A. Zemlinsky Trio para Violino, Violoncelo e Piano, Op. 3

 

Jorge Camacho clarineteDaniela Radu violinoMariana Ottosson violonceloAnna Tomasik piano