Uma escola bem sucedida

facebook Instagram Youtube

Notícias

Uma escola bem sucedida


Escola Profissional Metropolitana

EPM: Uma Escola Bem Sucedida

EPM:
Uma escola bem sucedida


Ao cabo de oito anos de funcionamento, já é possível fazer um balanço seguro do projeto da Escola Profissional Metropolitana (EPM), a única existente na Região de Lisboa. Com formação de Nível III, equivalente aos 10.º, 11.º e 12.º anos de escolaridade, já conta cinco ciclos de formação completos, mais de noventa alunos formados nos cursos de Instrumentista de Cordas e Instrumentista de Sopros e Percussão. De ano para ano tem-se vindo a verificar um incremento em qualidade e em número no universo de candidatos que realizam as provas de admissão para entrada na escola. Para o presente ano letivo, apresentou-se quase uma centena de jovens músicos para preencher as vinte e oito vagas disponíveis. Pode-se, portanto, afirmar que se trata de um caso de sucesso, mais ainda se for tido em consideração que é uma escola bastante mais recente do que as congéneres radicadas no norte do país, algumas já desde 1989.

Constata-se que a esmagadora maioria dos alunos prosseguiu os estudos em escolas superiores, o percurso natural para qualquer instrumentista que pretenda seguir uma carreira profissional. Cerca de duas dezenas permaneceram na Metropolitana, designadamente na Academia Nacional Superior de Orquestra. Outros dez, conseguiram ingressar em escolas estrangeiras de reconhecida reputação, com destaque para a Royal Academy of Music de Londres, os conservatórios de Haia e de Amesterdão, nos Países Baixos, o Conservatório de Genebra, na Suíça, e a Universidade de Hannover, na Alemanha. Entre as escolas nacionais que acolheram alunos da EPM contam-se a escolas superiores de música de Lisboa, Porto e Castelo Branco, para lá da Universidade de Évora e do Instituto Piaget de Almada.

A demonstração mais evidente do progressivo aumento do nível técnico e artístico dos alunos tem sido sobretudo evidente nas apresentações públicas realizadas ao longo do ano. No passado ano letivo, a Orquestra Clássica protagonizou dois ciclos de concertos em vários liceus de Lisboa e Mafra, com obras de Mozart, Saint-Säens, Schubert e sempre com concertos interpretados por solistas da própria escola. A Orquestra de Sopros subiu por duas vezes ao palco do Grande Auditório do CCB com música de Smetana, Grieg e Bandas Sonoras da Disney, sempre com a sala praticamente lotada. As Percussões da Metropolitana, o Ensemble de Saxofones e outros ensembles de sopros que se constituem em cada temporada continuaram a encantar plateias. A qualidade dos vinte e cinco recitais (Provas de Aptidão Profissional) protagonizados pelos alunos finalistas no mês de junho, no Museu do Oriente, coroaram mais um ano de intenso trabalho.

A Metropolitana é o ambiente ideal para a formação em contexto de trabalho que substancia o ensino profissionalizante. A coexistência das valências próprias de uma estrutura profissional com o genuíno entusiasmo do jovem músico alimenta a singular missão que se esconde por detrás de todas as iniciativas da instituição. A partilha de experiências entre as diferentes gerações tem, afinal, um desígnio comum: a paixão pela Música. Inevitavelmente, chegará a hora de ampliar o projeto, com a abertura do Curso Básico de Instrumento, de Nível II, com equivalência aos 7.º, 8.º e 9.º anos. O futuro assim o dirá.